Acessibilidade
Ir direto para menu de acessibilidade.
Você está aqui: Página Principal > Notícias > Órgão ligado à Defesa desenvolve aplicativo para auxiliar no combate às queimadas
Início do conteúdo da página

Órgão ligado à Defesa desenvolve aplicativo para auxiliar no combate às queimadas

Publicado: Sábado, 21 de Setembro de 2019, 17h12

Brasília, 21/09/2019 - O Centro Gestor e Operacional do Sistema da Amazônia (CENSIPAM), órgão vinculado ao Ministério da Defesa (MD), desenvolveu aplicativo para coletar informações situacionais sobre a Amazônia Legal. A plataforma registra coordenadas geográficas, imagens e informações de áreas onde ocorrem queimadas. Isso ajuda as missões de reconhecimento, auxiliando com informações para o planejamento das ações de combate aos focos de incêndio.

“Por meio do celular, é possível registrar em campo os focos de calor e enviar dados de latitude e longitude, intensidade do fogo e outras observações para um banco de dados. A plataforma consegue registrar essas informações mesmo estando em áreas remotas e sem acesso à internet”, explicou Mario Fraga, analista do CENSIPAM no Centro Regional de Porto Velho (CR-PV) e responsável pelo desenvolvimento do programa.

O aplicativo “Olhos de Águia” foi criado após a publicação do decreto que instituiu a operação Garantia da Lei e da Ordem (GLO) para combate aos focos de incêndio na Amazônia. A ferramenta busca integrar sistemas permitir o acesso aos dados na sala de situação da GLO, montada no CR-PV. Após período de testes, o aplicativo começou a ser utilizado na semana pelos órgãos parceiros do CENSIPAM.

“O aplicativo ajudará na identificação dos focos de calor e será uma grande ferramenta na tomada de decisão para os comandantes durante a operação”, afirmou Clodoaldo Furtado, coordenador de Inteligência do CR-PV.

 

Operação Verde Brasil

Na quinta-feira (19), os militares das Forças Armadas em parceria com integrantes das agências governamentais atuaram no controle às chamas no norte da cidade de Tucuruí (PA), e em Novo Progresso (PA). Em outra frente, realizaram ações repressivas contra garimpos ilegais e detenção de pessoas na região da Unidade de Conservação Campos Amazônicos, situada no sul do Amazonas. Na última ação, foram empregados helicópteros da Força Aérea e do Exército.

Tropa combate focos de incêndio em Novo Progresso (PA)

Mais de 7 mil homens e mulheres atuam no combate às queimadas no âmbito da Operação Verde Brasil. A ação é executada por militares das Forças Armadas, coordenados com órgãos de controle ambiental e de segurança pública, para o combate às queimadas e repressão ao desmatamento da floresta e do garimpo ilegal.

Estão sendo empregados na Operação cerca de 150 viaturas, 60 embarcações e 16 aeronaves, além das aeronaves enviadas pelo Chile. Os militares realizaram apreensão de madeira e combateram mais de 500 focos de incêndio.

Também interditaram quatro madeireiras ilegais dentro da área indígena Alto Turiaçu, destruíram dez acampamentos e oito pontes clandestinas. Apreenderam caminhões, tratores, carretas, motos, motosserras e embarcações utilizadas no desmatamento ilegal ou equipamentos usados em garimpos clandestinos. Paralelamente, realizaram a detenção de pessoas suspeitas, inspecionaram seis aeronaves de um aeródromo e 445 veículos. Além disso, os militares ministraram palestras de conscientização ambiental em escolas, nas localidades de Humaitá (AM) e Apuí (AM).

Ação repressiva contra garimpos ilegais na Unidade de Conservação Campos Amazônicos (AM)

 

Apoio internacional

O Brasil recebeu do Governo do Japão a doação de 330 barracas individuais e 998 colchonetes com isolantes térmicos. Esses itens serão usados pelos brigadistas do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) e do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (IBAMA), que estão atuando no combate aos focos de incêndio e aos crimes ambientais, no estado de Rondônia e nas regiões do Parque Indígena do Xingu e da Chapada dos Guimarães.

Barracas individuais e colchonetes serão usados por brigadistas do IBAMA e do ICMBio

Peritos da Agência dos Estados Unidos para o Desenvolvimento Internacional (USAID) chegaram ao Brasil, na quinta-feira (12), e encontram-se no Estado de Mato Grosso investigando a origem dos incêndios florestais. O trabalho ocorre em parceria com funcionários do IBAMA e do ICMBio.

Três peritos norte-americanos encontram-se na Chapada dos Guimarães, acompanhados por agentes do ICMBio. Outros três especialistas americanos foram enviados ao Parque Indígena do Xingu (MT), onde atuam acompanhados por agentes do IBAMA.

Apóia ainda o Brasil, o Chile, com quatro aeronaves civis, modelo Air Tractor 802. Esses aviões atuam no combate a focos de incêndios na região da Serra do Cachimbo, no Pará. O modelo é para uso exclusivo de combate ao fogo, com capacidade de despejo de até 3 mil litros de água e 4 mil quilos de carga.

Um grupo de 11 bombeiros militares de Israel apoiou as ações da Operação Verde Brasil no estado de Rondônia. Os militares estrangeiros executaram patrulhas em conjunto com brigadistas brasileiros do IBAMA, do ICMBIO e do CBM/RO e com a equipe de fiscalização e segurança da Polícia Militar Ambiental e do Exército Brasileiro. Eles contiveram focos de incêndio em uma área de aproximadamente 1.100 km².

 

Por Willian Cavalcanti  e Lane Barreto

Fotos: Divulgação Operação Verde Brasil e Manoel Euripedes/ICMBio 

Assessoria de Comunicação Social (Ascom)

Ministério da Defesa

(61) 3312-4071

registrado em:
Fim do conteúdo da página