Acessibilidade
Ir direto para menu de acessibilidade.
Você está aqui: Página Principal > Notícias > Porta-Helicópteros Multipropósito Atlântico é incorporado à Marinha do Brasil
Início do conteúdo da página

Porta-Helicópteros Multipropósito Atlântico é incorporado à Marinha do Brasil

Publicado: Quinta, 05 de Julho de 2018, 12h09

Brasília, 05/07/2018 - Na Real Base Naval de Devonport, em Plymouth, Reino Unido, no dia 29 de junho, foi realizada a Mostra de Armamento do Porta-Helicópteros Multipropósito (PHM) Atlântico, uma cerimônia de tradições navais que indica o início da singratura (termo náutico - rota) do navio na Marinha do Brasil. O evento foi presidido pelo chefe do Estado-Maior da Armada brasileira, almirante de Esquadra Ilques Barbosa Junior, e contou com a presença do embaixador do Brasil junto ao Reino Unido da Grã-Bretanha e Irlanda do Norte, Eduardo dos Santos, e o comandante da Esquadra da Marinha do Reino Unido, vice-almirante Ben Key.

O navio somará à Marinha do Brasil importantes capacidades anfíbias e de operações navais com helicópteros embarcados para a manutenção da segurança do Atlântico Sul e a defesa dos interesses marítimos do País em qualquer parte do planeta.

Na ocasião, foi realizada também a assunção do comando do navio pelo capitão de Mar e Guerra Giovani Corrêa e a senhora Patrícia Monteiro da Costa, madrinha do navio, conduziu, a bordo, o primeiro cerimonial à Bandeira do Brasil.

“Ao comandante, oficiais e praças do PHM Atlântico, expresso votos de felicidades e de pleno êxito em sua missão. Os senhores terão a honra de liderar a criação, consolidação e serão plano mestre para preservação da alma marinheira deste navio. Tenham orgulho desse valioso patrimônio, que lhes é confiado pela nossa Pátria”, foram as palavras do almirante Ilques na Ordem do Dia.

PHM Atlântico

A chegada do PHM Atlântico ao Brasil está prevista para o final de agosto, em data próxima ao aniversário da Aviação Naval. No histórico de serviço do navio constam operações navais em apoio a ações humanitárias, em 2017, nas ilhas do Caribe, afetadas pelo Furacão Irma.

O nome Atlântico remete a saga das grandes navegações, que proporcionaram, entre outros notáveis feitos da Escola de Sagres, o descobrimento do Brasil.

O navio foi projetado para operar com até sete aeronaves em seu convoo e 12 no hangar, e pode transportar Grupamentos Operativos de 500 a 800 Fuzileiros Navais e projetá-los por movimentos helitransportados, ou por superfície, empregando suas quatro lanchas de desembarque, a partir de uma distância de até 200 milhas da costa (cerca de 321 km). Possui, ainda, diversas salas de planejamento para uso de Estado-Maior.

É dotado de um Sistema de Combate que integra o Sistema de Comando e Controle LPH CMS, quatro canhões de 30mm DS30M Mk2, dois Radares 1007, um Radar 1008 e do moderníssimo Radar Artisan 3D 997, com elevada capacidade de detecção e acompanhamento.

Nas próximas três semanas, o navio passará por um intenso programa de treinamentos no porto e no mar com o reconhecido e rigoroso Centro de Instrução da Marinha do Reino Unido Flag Officer Sea Training. Assim, estará pronto para a segurança e desenvolvimento nacional.

Com informações e fotos do CCSM/Marinha

Assessoria de Comunicação Social (Ascom)
Ministério da Defesa
61 3312-4071

Fim do conteúdo da página