Acessibilidade
Ir direto para menu de acessibilidade.
Você está aqui: Página Principal > Notícias > Ministério da Defesa homenageia militares e civis no Dia Internacional da Mulher
Início do conteúdo da página

Ministério da Defesa homenageia militares e civis no Dia Internacional da Mulher

Publicado: Quinta, 08 de Março de 2018, 16h34

Brasília, 08/03/2018 – Com a presença maciça delas, o auditório do Anexo ao Ministério da Defesa (MD), nesta quinta-feira, recebeu militares e servidoras civis para a comemoração do Dia Internacional da Mulher. O evento contou com a presença do ministro da Defesa interino, general Joaquim Silva e Luna.

Em seu discurso, o ministro Silva e Luna destacou, de forma afetiva, a importância da mulher. “Ao longo da vida, do ponto de vista afetivo, tenho a impressão que ninguém marca mais a nossa vida do que uma mulher. A mãe é a nossa primeira relação e começamos a entender que a vida não pode ser só realmente, mas compartilhada com alguém”, disse.

“O ser humano precisa de família, de escola, precisa de oportunidade. A partir dessas três coisas, ele vai ser alguém na vida”, continuou o ministro, se referindo à participação da mulher na sociedade, na família e no trabalho. Neste último, lembrou, como militar, que as mulheres nas Forças Armadas humanizaram mais os ambientes, gerando mais respeito no meio militar, antes exclusivamente masculino.

O general Silva e Luna encerrou sua homenagem agradecendo o comprometimento de todas as mulheres: “Continuem nesse bonito papel que a natureza, que Deus entregou a cada uma, parabéns pelo Dia Internacional da Mulher, muito obrigado por compartilhar conosco o dia de hoje”.

O secretário de Orçamento e Organização Institucional (SEORI), Franselmo Araújo Costa, parabenizou todas as mulheres da Defesa. ”É uma honra muito grande fazer parte do dia a dia de vocês”, disse.

A programação do dia das mulheres no MD ainda incluiu uma palestra com o tema “Inteligência Emocional: como fazer de 2018 o ano da mulher extraordinária”, apresentada por Marizabel Held, promotora de uma rede de cosméticos. Após, as servidoras do ministério puderam ser atendidas em uma sessão de spa facial.

O  dia 8 de março, Dia Internacional da Mulher, surgiu no início do século vinte, quando ocorreu a entrada da mão-de-obra feminina no meio operário, por ocasião da Segunda Revolução Industrial e da Primeira Guerra Mundial. Hoje, as mulheres são homenageadas em todo mundo, incentivo também da ONU aos direitos delas no contexto social.

A homenagem

Durante o evento comemorativo, como forma de homenagear a todas as mulheres do MD, um buquê de flores foi entregue pelo ministro Silva e Luna à diretora do Departamento de Organização e Legislação (DEORG), Karine Andréa Eloy Barroso. A doutora Karine, advogada da União, foi a primeira mulher na Defesa a assumir o cargo de direção do departamento.

“Entendo que este dia é um dia importante. Temos tido vários avanços com as mulheres em órgãos de direção e chefia, mas precisamos ainda avançar bastante. A mulher muitas vezes é capacitada, mas não tem aquela oportunidade de desafios, de liderar equipes, e eu fico muito contente com essa oportunidade que o Ministério da Defesa me deu”, relatou Karine.

Hoje, mulheres, militares e civis, ocupam diversas funções no MD, como a sargento da Força Aérea Camila Veloso Alves. Ela é da especialidade de administração e trabalha na coordenação de licitação e contratos há 6 anos.

”Esse dia internacional veio para nos presentear pela nossa capacidade de inserção no mercado de trabalho, inclusive nas Forças Armadas. É um dia importante para relembrar todas as nossas batalhas e guerras, que a gente tem no dia a dia. É um dia de reconhecimento e de incentivo, principalmente para as mais jovens, de inserção na carreira”, disse Camila.

As oportunidades nas Forças Armadas

As mulheres cada vez mais conquistam espaços em diversos setores do País. Não é diferente nas Forças Armadas, que se abre em oportunidades para elas. Atualmente, somam quase 30 mil nas fileiras da Marinha, Exército e Aeronáutica.

“As Forças Armadas, para nós mulheres, é uma oportunidade de você se destacar como profissional, independente de ser mulher. É desafiador e enriquecedor. Quando eu entrei na Marinha, eu trouxe a minha bagagem de advogada, mas eu me vi com a oportunidade de trabalhar para o meu País, trazendo soluções” relatou a capitão-tenente janini Farast Pinto ao falar sobre a profissão.

Hoje, assessora jurídica no Centro de Comunicação Social da Marinha, ela é uma das estagiárias do curso de Direito Internacional dos Conflitos Armados, da Escola Superior de Guerra, núcleo Brasília.

Para saber mais sobre oportunidades da carreira militar acesse:
https://www.marinha.mil.br/
http://www.eb.mil.br/
http://www.fab.mil.br


Por Sylvia Martins


Fotos: Alexandre Manfrim

Assessoria de Comunicação Social (Ascom)
Ministério da Defesa
61 33124071

registrado em:
Fim do conteúdo da página