Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro
Você está em: Página inicial > Notícias > Ministério da Defesa cria sistema que consegue prever enchentes na Região Amazônica
Início do conteúdo da página

Ministério da Defesa cria sistema que consegue prever enchentes na Região Amazônica

Publicado em Terça, 29 Agosto 2017 17:09 | Última atualização em Terça, 29 Agosto 2017 17:09

Brasília, 29/08/2017 – Os ministros da Defesa, Raul Jungmann, e da Integração Nacional, Helder Barbalho, participaram, nesta terça-feira, da cerimônia de lançamento do Sistema Integrado de Monitoramento e Alerta Hidrometeorológico da Amazônia (SIPAMHidro), que foi criado no âmbito do Sistema de Proteção da Amazônia, para fornecer informações de monitoramento e previsão dos níveis dos principais rios que compõe a Bacia Amazônica e suas subacias, entre essas, as dos rios Amazonas, Tocantins e Araguaia.

Desenvolvido por analistas do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia (CENSIPAM), do Ministério da Defesa (MD), o sistema também irá gerar conhecimento a respeito das bacias urbanas, envolvendo enchentes e inundações nas principais cidades, possibilitando planejar, com antecedência, as intervenções com objetivo de assistir adequadamente a população afetada.

Fotos: Tereza Sobreira/MD

Durante a cerimônia de lançamento, o ministro Raul Jungmann destacou que a ferramenta será fundamental para as populações que vivem na Região Amazônica e que estão vulneráveis aos eventos extremos de natureza hidrometeorológica. “Esse sistema tem a condição de antecipar e, em alguns casos, até de evitar situações problemáticas relacionadas ao clima, porque ele conseguirá prever situações de seca, tempestades e condições de navegabilidade com até duas horas de antecedência”, afirmou o ministro.

Para o ministro da Integração, o novo sistema se somará aos vários mecanismos que já estão a serviço da Defesa Civil para prevenção de acidentes relacionados a fenômenos naturais. “Com essa ferramenta do Ministério da Defesa, estamos complementando o nosso portifolio de informações, o que nos permitirá, cada vez mais, o aprimoramento e, através da integração desses dados, que consigamos ter a eficiência plena na gestão desses eventos climáticos”, afirmou Hélder Barbalho. 

A concepção desse sistema é definida como um conjunto de tecnologias, metodologias e procedimentos operacionais, integrados em uma plataforma de banco de dados capaz de fornecer informações especializadas das condições hidrológicas e meteorológicas que estão ocorrendo nas grandes bacias. Com base nisso, o sistema também poderá prever as prováveis consequências que os eventos extremos dessa natureza podem ocasionar a população, possibilitando, com isso, melhorar a eficiência das respostas de prevenção e mitigação das defesas civis.

O coordenador do projeto, o analista de Ciência e Tecnologia, Flávio Altieri, explica que o grande diferencial das informações geradas no âmbito do SIPAMHidro está na capacidade de se obter informações de forma sistêmica e integrada, além de identificar e dimensionar a extensão do impacto do desastre sobre as áreas urbanas influenciadas por eventos de alagamentos e inundações, sejam eles provocados por tempestades severas, ou pela cheia natural dos grandes rios.

O novo sistema já está no ar, no endereço eletrônico: www.sipam.gov.br 


Assessoria de Comunicação Social (Ascom)
Ministério da Defesa  
61 3312-4071

Fim do conteúdo da página